A Precária e Ineficiente Justiça Brasileira
Por uma revitalização científica
Categorias
Administração, Ciências Exatas, Direito, Ciência Forense, Processo Penal, Tribunais
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 17665 vezes desde 15/03/2015
Versão
impressa
R$ 53,39
Coloração
Acabamento
Valor total:
R$ 53,39
Versão
ebook
R$ 19,91
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 53,39
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Este enunciado abaixo é de autoria de RUY BARBOSA em 1914:

"A falta de justiça, srs. Senadores, é o grande mal da nossa terra, o mal dos males, a origem de todas as nossas infelicidades, a fonte de todo nosso descrédito, é a miséria suprema desta pobre nação.

A sua grande vergonha diante do estrangeiro, é aquilo que nos afasta os homens, os auxílios, os capitais.

A injustiça, senhores, desanima o trabalho, a honestidade, o bem; cresta em flor os espíritos dos moços, semeia no coração das gerações que vêm nascendo a semente da podridão, habitua os homens a não acreditar senão na estrela, na fortuna, no acaso, na loteria da sorte, promove a desonestidade, promove a venalidade, promove a relaxação, insufla a cortesania, a baixeza, sob todas as suas formas.

De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.

Essa foi a obra da república nos últimos anos. No outro regime (na monarquia), o homem que tinha certa nódoa em sua vida era um homem perdido para todo o sempre, as carreiras políticas lhe estavam fechadas. Havia uma sentinela vigilante, de cuja severidade todos se temiam e que, acesa no alto (o imperador, graças principalmente a deter o poder moderador), guardava a redondeza, como um farol que não se apaga, em proveito da honra, da justiça e da moralidade"

===================

No caso do Judiciário a APROVAÇÃO é de 33% e a DESAPROVAÇÃO é de 67%, em que toda a estrutura organizacional, administrativa e operacional do mesmo tem uma Qualidade Percebida com APROVAÇÃO de 33%. Sua Qualidade Praticada é de 33% - Ou seja para cada R$ 100,00 investido nesta organização, o efeito de sua qualidade justificará apenas R$ 33,00 ao resultado das suas atividades – o que será sua produtividade econômica.

A MÁ QUALIDADE toma do resultado das suas atividades o valor de R$ 67,00 de cada R$ 100,00 aplicado pelos impostos dos contribuintes.

Assim, são “cientificamente” evidentes que os atuais 3 Poderes já estão OBSOLETOS. Agora, a república vê florescer quatro NOVOS poderes masters - que são os poderes que estabelecem o vetor de evolução civilizatória: poder moral que permeia todos os outros poderes. O poder técnico é que garante a segurança alimentar e tecnológica, o poder econômico que garante a distribuição da riqueza e da renda nacional, o poder político que garante a “sobrevivência” na geopolítica local, regional e global, em função de sua ideologia inspiradora, e da capacidade deontológica de sua liderança.

A revelação magna nesta obra é que o poder moral é sustentado pelo senso de justiça, sua coesão aos princípios éticos, seu nivelamento e homogeneidade técnica, sua capacidade de concretizar o justo, de estender sua aplicação, sem privilégios, e de elevar o padrão moral. Só sobrevive, nesse mecanismo da evolução natural, a justiça como poder equilibrante, de uma sociedade. Os figurantes da "velha república", tais como, o executivo e o legislativo, são caricaturas da modernidade, na operação de um estado.

O STF deveria ser esse guardião no Brasil. Mas infelizmente nos apresenta, em suas lideranças, o caráter mortal do fracasso e da insegurança jurídica.

A justiça suprema é governista, pois "depende" do seu modus-vivendi aprovado pelo executivo e pelo legislativo. Logo a justiça não presta serviços para a sociedade, mas somente contra ela.

No Brasil os poderes não são independentes. Para minimizar isto deveríamos votar para eleger os membros do Supremo Tribunal, para que tivessem obrigações morais com a sociedade...

Vai daí que muitos acreditam que a justiça no Brasil está morta.

Este livro começou a ser escrito em 1985, e revela a percepção de engenheiro especializado em administração de tecnologia. E aqui ele aplica matemática, estatística e probabilidades. Esta obra poderá ser uma ferramenta para ajudar a encaminhar o Brasil para uma nova Era da Administração Científica do arcaico Sistema Jurídico Nacional.

Características
Número de páginas 204
Edição 1 (2015)
Formato A4 (210x297)
Acabamento Brochura
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Lewton Burity Verri

PÓS GRADUAÇÃO - UBM - Centro Universitário de Barra Mansa - RJ

Pós Graduação em Licenciamento e Gestão Ambiental

Barra Mansa / RJ – Brasil - 2011 – 2012 – Concluído em outubro/2012

GRADUAÇÃO - UFF - Universidade Federal Fluminense

Engenharia Industrial Metalúrgica - Volta Redonda / RJ – Brasil - 1972 – 1974 e Básico de Engenharia Mecânica na Escola Naval, de 02/02/1970 a 02/02/1972.

EMPRESAS EM QUE TRABALHEI: CSN, SERCO, ABRACOOP, FACULDADE ANGLO LATINO - SP, FACULDADE SUL FLUMINENSE.

CARGOS EXERCIDOS: De engenheiro estagiário a engenheiro sênior, na industrialização, com atuação na alta administração: foi assessor técnico da Presidência, foi Vice Presidente e Diretor Técnico de empresa de engenharia, foi Presidente de ONG, Professor do Ensino Superior.

Possui 48 mil horas em engenharia industrial e metalúrgica, administração da produção e do controle da qualidade, assistência técnica aos clientes, especificação de processos siderúrgicos, auditorias da qualidade, projetos e desenvolvimento de novos produtos, projetos de experimentos laboratoriais e industriais, controle estatístico e planejamento da produção, exportação de produtos, normalização e padronização de produtos e processos, desenvolvimento de sistemas de informações, desenvolvimento de sistemas de controle da qualidade, pesquisas, estudos científicos e projetos de experimentos, implantação de ISO 9000, ISO - 14000, implantação de TQC - Total Quality Control (especialização no Japão – 1991 – 180 horas), implantação de CCQ - Círculos de Controle da Qualidade e assessoramento técnico da presidência da CSN e do Conselho de Administração.

Engenheiros Blog: www.engenheiros.blog.br

Comentários
0 comentários