Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
Famílias Endogâmicas do Vale do Acaraú
Categorias
Historiografia, Estudos Da Etnia, Geografia E Historia, Geografia Humana, Não Ficção, Ciências Humanas E Sociais
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 1935 vezes desde 13/09/2017
Versão
impressa
R$ 80,32
Valor total:
R$ 80,32
Versão
ebook
R$ 44,13
Disponível em:
PDF
Valor total:
R$ 80,32
Este livro pode estar à venda na:
Este ebook também pode estar à venda na:
Sinopse

Quando o Brasil foi dividido em Capitanias, a de Pernambuco foi doada a Duarte Coelho Pereira, notável capitão português, por carta régia de 10 de abril de 1534. Na época, Pernambuco era habitado na costa, desde o rio São Francisco até Itamaracá, pelos Caetés, tribo selvagem e feroz, e desde Itamaracá até o rio Abiay, que era a divisão com a Paraíba, pelos índios Tabajaras. Duarte Coelho, filho de Gonçalo Pires Coelho e neto paterno de Martim Coelho, oriundo da antiga e nobilíssima linhagem dos Coelhos — era casado com D. Brites de Albuquerque, filha de Lopes de Albuquerque e D. Joana de Bulhões. Do porto de Lisboa partia para o Brasil, acompanhado da esposa D. Brites de Albuquerque, do cunhado Jerônimo de Albuquerque, diversas famílias e o pessoal necessário para a fundação da colônia. Em 9 de março de 1535, fundeou a armada no porto de Itamaracá e Duarte Coelho saltou com sua gente, nas margens do rio Igarassu, no sítio denominado Marco, limite das suas terras com as de Itamaracá. Jerônimo de Albuquerque, nascido no começo daquele século, era então um rapaz forte e dotado de intrepidez e bravura, em virtude do que lhe deram o lugar de um dos primeiros capitães e dos vultos mais notáveis da colônia. Prisioneiro de guerra e condenado à morte sucumbiria se não tivesse a felicidade de cair no agrado de uma das filhas de Arco Verde, velho chefe dos Tabajaras. Em 1562, em obediência a uma carta de D. Catarina de Áustria, rainha de Portugal, Jerônimo casou-se com Felipa de Mello, filha de Dom Cristóvão de Mello. Segundo D. Catarina, sendo ele o sobrinho de D. Afonso de Albuquerque, descendente de reis, não deveria seguir a “lei de Moisés”, isto é, manter “trezentas concubinas”. Do casamento com D. Felipa de Mello nasceram 11 filhos: João, Afonso, Cristóvão, Duarte, Jerônimo, Cosme, Felipe, Isabel, Maria, além de 2 que morreram logo após o nascimento. Assim, Jerônimo de Albuquerque teve 24 filhos, entre legítimos e legitimados, o que lhe valeu o apelido entre os historiadores de “Adão Pernambucano”. De Jerônimo de Albuquerque, descende, no Ceará — os Fernandes Vieiras, os Feitosas, os Mellos, os Montes, os Xerez e muitas das tradicionais famílias, notadamente as que povoaram, como pioneiras, o vale do Acaraú. Registra-se o fato entre descendentes de meus ancestrais — Araújo Costa, Carrasco, Carneiro, Dutra, Fonteles, Rocha, Silveira, Vasconcelos e outros mais. Essas sucessivas interligações de parentes, notadamente em certos grupos, formam as famílias do Vale do Acaraú, por todos os ramos, oriunda das mais antigas e distintas, quer do Brasil Colonial, quer mesmo de Portugal. É o que se pode verificar na leitura destas notas.

Características
ISBN 978-85-9161-414-1
Número de páginas 402
Edição 1 (2017)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Polen
Fale com o autor
Vicente Freitas

Vicente Freitas de Araújo (Bela Cruz, Ceará, 11 de fevereiro de 1955) é um editor, escritor, poeta, historiador e artista plástico brasileiro. Filho de José Arimathéa de Freitas e Dona Maria Rios de Araújo. Depois de estudar em algumas escolas de sua cidade natal, mudou-se para Fortaleza, passando então a conviver com um grupo de escritores e poetas, frequentadores da Casa de Juvenal Galeno. Licenciado em História e Geografia, pela Universidade Estadual Vale do Acaraú, UVA. É autor dos livros: Almanaque poético de uma cidade do interior (1999); Bela Cruz — biografia do município (2001); O Carpinteiro das Letras (2005); Bela Cruz — famílias endogâmicas (2010); Corpo — acorde arpejado (publicado em Lisboa, 2012); História abreviada de Bela Cruz (2013); Bela Cruz — cronologia do município (2014); Famílias endogâmicas do Vale do Acaraú (2015); Linhares Filho — Príncipe dos Poetas Cearenses (2016); Fernando Pessoa — Fragmentos de uma Autobiografia (2017). Participou de várias coletâneas, dentre as quais: Poetas brasileiros de hoje, Shogun Arte Editora, (1992); Contos e poemas do Brasil, Litteris Editora, RJ (1997); Os melhores da literatura, Litteris Editora, RJ (1998); Sonhos e expectativas, Scortecci Editora, SP (1999); Seleção de poetas noctívagos, Scortecci Editora, SP (2001); Três milênios de poesia e prosa, Fortaleza (2003). É verbete da Enciclopédia de literatura brasileira, de Afrânio Coutinho e J. Galante de Sousa (2001). Organizou antologias sobre — José Albano, Juvenal Galeno, Linhares Filho, Manoel de Barros, Fernando Pessoa, e outros. Foi um dos finalistas do prêmio nacional de poesia Menotti del Picchia 2000, e do internacional Von Breysky 2001. Seus livros foram publicados, em vários idiomas, por um Grupo de Editoras da Europa, África, Ásia e América Latina, com distribuição nas principais livrarias do mundo.

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Impresso
R$ 60,98
Ebook
R$ 33,37
Impresso
R$ 81,98
Ebook
R$ 33,37
Impresso
R$ 43,22
Ebook
R$ 16,14
Impresso
R$ 57,39
Ebook
R$ 20,45
Impresso
R$ 51,04
Ebook
R$ 33,37
Impresso
R$ 38,79
Ebook
R$ 19,37
Impresso
R$ 51,01
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 46,11
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 44,50
Ebook
R$ 22,60
Impresso
R$ 60,82
Ebook
R$ 27,98
Comentários
0 comentários