VIVÊNCIAS QUE PERMEIAM A HOSPITALIZAÇÃO INFANTIL
A Família como fonte inesgotável
Categorias
Ciências Humanas E Sociais, Culinária, Didáticos, Estudo Das Crianças
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 1260 vezes desde 14/05/2017
Versão
impressa
R$ 63,29
Acabamento
Valor total:
R$ 63,29
Valor total:
R$ 63,29
Este livro pode estar à venda na:
Sinopse

Esta obra nasceu da Dissertação de Mestrado em Ciências Sociais e da Religião realizado na Faculdade Teológica e Cultura da Bahia em Vitória da Conquista - BA. A pesquisa teve como foco destacar a importância de compreender como os familiares podem reagir em uma unidade hospitalar e como é o acolhimento das crianças internadas.

Teve como objetivo geral compreender como é a reação das famílias diante da hospitalização infantil no referido hospital e como estes são acolhidos, e como objetivos específicos conhecer as características sócio-demográficas das famílias atendidas no Hospital Público de Vitória da Conquista - BA; analisar as ações desenvolvidas pelos profissionais, junto às famílias das crianças hospitalizadas; e identificar como a hospitalização pode interferir na vida cotidiana dos familiares e das crianças no Hospital Público de Vitória da Conquista - BA.

O método utilizado para a realização desta pesquisa atendeu, portanto, a requisitos de uma analise descritiva, tipificando um estudo qualitativo, utilizando-se de entrevistas para a coleta de dados. Foram entrevistadas 10 pessoas que acompanhavam as crianças em situação de internamento no Hospital Público de Vitória da Conquista - BA, sendo mulheres entre 19 a 53 anos de idade; grau de escolaridade de fundamental I incompleto a nível superior, que ou eram casadas, ou mães solteiras ou vivendo em união consensual, sobre a profissão declararam-se lavradoras, donas de casa, professora, aposentada, empregada doméstica e lavadeiras de roupas. Estas mães, apesar de chefiarem e sustentarem suas famílias tanto quanto seus maridos são responsáveis pelos cuidados da criança hospitalizada.

Essas mães reconheceram o acompanhamento de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, mas nem todas tiveram a oportunidade de serem assistidas pelo serviço social. Declararam-se satisfeitas com o atendimento dos profissionais quanto aos seus filhos.

Enfim, através desta pesquisa foi observado que para chegar ao cuidado humanizado tanto das crianças como dos seus familiares, em caso de internamento, é necessário ouvir e dialogar com os acompanhantes das crianças em sua linguagem, respeitando suas opiniões para melhor cuidado com os mesmos.

Características
ISBN 978-85-5697-415-0
Número de páginas 133
Edição 1 (2017)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
Profª PhD. Dra. Débora Araújo Leal

Sou Pós Doutora em Docência Universitária pelo Instituto Universitário Italiano de Rosário- IUNIR-AR;

Doutora em Educação pela - UNINTER/UNESA; Doutora em Relações Interculturais pela UAB-PT/UFC; Mestre em

Educação pela - FUNIBER, Mestre em Ciências Sociais da Religião pela Faculdade Teológica e Cultural da Bahia -

FATECBA, Pós Graduada em Educação Especial pela-UEFS, Pós Graduada em Psicopedagogia pela-ESAB, Pós

Graduada em Gestão de Políticas Públicas de Gênero e Raça pela-UFBA, Pós Graduanda em

Neuropsicopedagogia Clínica pela Faculdade Dom Alberto - RS, Pós Graduanda em Gestão Pública e Gestão de

Pessoas pela Faculdade Dom Alberto - RS, Graduada em Pedagogia pela - UEFS, Graduada em Serviço Social

pela - UNIDERP ANHANGUERA, Graduada em História pela Universidade do Estado da Bahia- UNEB, Graduanda

em Direito pela UNESA. Atualmente sou Coordenadora Pedagógica no do Município de Feira de Santana-BA e Professora do Instituto de

Educação Social e Tecnológico da Bahia.

Comentários
0 comentários