Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade.
ACEITO
Areia
Poesia Reunida
Categorias
Poesia
Compartilhe este livro
Esta página foi vista 2954 vezes desde 23/07/2013
Versão
impressa
R$ 48,80
Valor total:
R$ 48,80
Valor total:
R$ 48,80
Sinopse

“Areia”... O que seria o “Farfalhar ético das borboletas”? Neste verso esta frase é destas construções que a gente faz e não entende, lê e finge que não vê, que no escuro da alma, o poeta simplesmente consente, pensa consigo: “deixa isto aí...” São concessões necessárias, mas via de regra, perigosas, em excesso aparentam como desleixo. Algo talvez como o inacabado do Rodin, que pode ter o charme de um contraste, ou mesmo, nos lembrar de certo imperfeito, que mesmo no Moisés de Miguel Ângelo, surge na estirpe inanimada da substância da estátua. Também as palavras não dizem nada, o sujeito é que do seu delírio ouve o que quer, ali do seu hiato de pedra a pedra, esta branca areia! Areia de Porto Seguro, areia que devidamente transformada se produziu as lentes... A fotografia, o cinema, o investimento em uma expressão mais dinâmica, tecnológica... Talvez a graça da manipulação de brinquedos, o mágico efeito... Enquadramentos, close-up... Flores, paisagens, viagens... O namoro e sua inquietação, o desejo de mais e mais... E pouco dinheiro... Por fim, areia para construção, o casamento e uma vida nova. Areia vai e volta... “Ceder um passo para que entrem com a carreta: um grão da ampulheta!”

Os livros de Ata do 2 ao 4, de 1998 a 2004, “Areia” surge quase em “Brancas nuvens”(outro poema deste livro). Oscila pouco, mas não diz muito. Têm as suas pérolas, pequenas traições talvez... Mas como o endereço estava tão bem definido e acessível, as melhores palavras foram ditas diretamente aos ouvidos. Fantasias, e elas foram muitas, não foram articuladas em frases, mas em lençóis alvejados de moteizinhos baratos, ou na minha pobre, mas profética cama de solteiro. Profética...

Características
Número de páginas 434
Edição 1 (2013)
Formato A5 (148x210)
Acabamento Brochura c/ orelha
Coloração Preto e branco
Tipo de papel Offset 75g
Fale com o autor
André Alvim Resende

André Alvim Resende nasceu em Brasília no dia 7 de Abril de 1971. Em Agosto de 1984 mudou-se de Brumado na Ba para Pouso Alegre MG. Lá estudou no colégio São José que anualmente promovia concursos literários, o que despertou o seu gosto pela escrita e ele começou a escrever os seus primeiros versos. Em 1989 mudou-se para Belo Horizonte, onde na PUC-MG formou-se em Psicologia em 1994. André é especialista na área de RH, mora atualmente em Uberlândia MG, e nunca deixou de se dedicar à poesia. Possui diversos livros publicados no clube de autores www.clubedeautores.com.br . As suas influências seguem pelo caminho seguro dos nossos grandes nomes da poesia como Drummond, Vinícius, Manuel Bandeira, Cruz e Souza, João Cabral de Melo Neto, como também o chileno Pablo Neruda. Ademais, entra toda a riqueza da MPB que cotidianamente e como expressão maior da nossa cultura, tem forte reflexo na sua escrita, como Gil, Caetano, Chico, Tom Jobim, e os grandes nome da atualidade, como Lenine, Zeca Baleiro, Otto e muitos mais.

Mais publicações desse autor
Ver a lista completa
Publicações relacionadas
Ver a lista completa
Comentários
0 comentários